Metal

Tirar fotos de objetos e empresas não tem aquela mesma sensação de se registrar pessoas e acontecimentos. Mas mesmo assim, pode levar a resultados satisfatórios. Nessa imagem, fruto de um trabalho para uma fábrica de metais para construção, pude explorar um pouco da seqüência dos tubos e tentar propor uma composição mais fixa, destacando as formas básicas dos objetos.

BH in Love – exposição de vestidos de noiva com grandes fotógrafos de casamento

Foto de Vinícius Matos

Foto: Vinícius Matos

Entre os dias 17 e 30 de maio, com curadoria de Zuza Nacif, o Pátio Savassi apresenta a exposição “BH in Love”, com as dez principais grifes de moda e acessórios para noivas de Minas Gerais e as mais fortes tendências do mercado internacional.

Um dos grandes destaques da exposição será uma réplica do vestido de noiva de Grace Kelly, feita pelo estilista Ricardo Melo. As fotos deste vestido, feitas por Cristina Lima, também estarão na mostra.

Para Rejane Duarte, gerente de Marketing do Pátio Savassi, a proposta do projeto é a de aproximar o público do que há de bom gosto no segmento. Além de Ricardo Melo, estarão no evento as marcas Idea Sposa, Poizon, Patrícia Nascimento, Danielle Benício, Giulliano Oliva, Organza, Bouquet Tetê Rezende, Marília Pitta e Pedro Muraro.

Foto de  Márcia Charnizon

Foto: Márcia Charnizon

“Casamento é um momento único para os noivos e familiares, e cada vez mais, tem se investido em fotógrafos com olhares singulares para registrarem de maneira poética toda a atmosfera de amor, carinho, expectativa, sonhos e desejos”, avalia Zuza Nacif.

A mostra “BH in Love” trará para os corredores do Pátio Savassi as obras de renomados fotógrafos como Márcia Charnizon, uma das mais prestigiadas fotógrafas de casamento. Em 2009, um de seus trabalhos ganhou o 2º lugar no prêmio PX3, em Paris, e, este ano, entrou para a galeria de vencedores do concurso da Revista PDM, publicação mais conceituada do setor.

Márcia vai expor quatro fotos, de acordo com ela, lúdicas e divertidas. “Os casamentos sempre tem um recorte poético e é exatamente isso que quero mostrar. Minha intenção é confundir as pessoas que virem as fotos. Quero que elas fiquem na dúvida se a imagem é posada ou é real, se é uma noiva de verdade ou se é modelo”, destaca a fotógrafa.

Vinicius Matos, da La Foto, será outro profissional a expor seu trabalho. Considerado como o fotógrafo de casamento número um do mundo pelo International Society of Wedding Photographers – ISWP, a mais importante associação mundial do segmento, Vinícius alcançou o topo da lista mais cobiçada do planeta, sendo o único brasileiro no top 20 do mundo, segundo o ISWP.

Texto de Henrique Ribas
Fonte: http://www.escoladeimagem.com.br/blog

Foto de Vinícius Matos

Foto de Vinícius Matos

Fotógrafo de 92 anos é homenageado em Minas

Fotógrafo nascido em Diamantina é homenageado com exposicao de "Fotos Antigas da Cidade"

Fotógrafo nascido em Diamantina é homenageado com exposicao de "Fotos Antigas da Cidade"

O sorriso feliz é de quem está perto de uma grande amiga, daquelas que acompanharam momentos de pura emoção em várias etapas da vida – noite e dia, sob sol ou chuva. Com total intimidade, o fotógrafo Assis Alves Horta, de 92 anos, regula o diafragma da primeira máquina de estúdio que comprou, em 1936, a francesa da marca Gilles-Faller, e diz, orgulhoso, que o pano escuro para impedir a entrada de luz é original de fábrica.

Para mostrar a importância da peça na trajetória pessoal e profissional, o mineiro de Diamantina a colocou num lugar de destaque na sala da sua casa, no Bairro Barroca, na Região Oeste de Belo Horizonte, cidade onde vive com a família há 35 anos. “Fotografia é arte gostosa, eterna, uma lembrança que fica para sempre”, conta, ao lado da mulher ,Maria Monteiro Horta, de 92, com quem está casado há 68 anos.

A sala ainda reserva muito espaço para fotografias em preto e branco e coloridas feitas por Assis, que, com o seu trabalho, se tornou um dos maiores defensores do patrimônio cultural de Minas. Durante sete décadas ele percorreu as cidades históricas, a começar pela sua Diamantina, no Vale do Jequitinhonha, documentando tudo o que fosse relevante e estivesse na mira: imagens sacras, casarões, interior e fachada de igrejas, ruas e praças, cerimônias religiosas, num total de 60 mil registros.

Por isso mesmo, acaba de receber homenagens e reconhecimento do Ministério Público Estadual, via Promotoria de Defesa do Patrimônio Cultural e Turístico (CPPC), que ainda promoveu pequena mostra de fotografias e equipamentos, encerrada na sexta-feira, na Procuradoria-Geral de Justiça, na capital.

Para quem não viu, resta a oportunidade de visitar o Museu do Diamante, vinculado ao Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), em Diamantina, e ver a exposição permanente Diamantina 360 graus – sob o olhar de Assis Horta, convida a diretora da instituição, Lílian Oliveira. Para setembro, está prevista outra mostra na cidade, com o nome Festas e, desta vez, de caráter itinerante.

Na campanha de recuperação do acervo desaparecido de museus, igrejas, capelas e monumento mineiros, que completa sete anos e é integrada por diversos órgãos estaduais e federais, “seu” Assis, como é conhecido, tem papel de destaque. “Ele forneceu fotografias antigas e informações preciosas para abastecer o banco de dados sobre bens sacros furtados do estado.

Em fevereiro, nos cedeu três fotos inéditas, datadas de 1936 e em ângulos diferentes, retratando a imagem de Santana Mestra da igreja matriz do distrito de Inhaí, em Diamantina. A peça foi furtada em 1997 e está sendo procurada pelas autoridades”, afirma o promotor de Justiça e coordenador do CPPC, Marcos Paulo de Souza Miranda.

Texto de Gustavo Werneck/Estado de Minas
Fonte: Portal Uai

Tiago Santana: mestre da composição

Tiago Santana

Outro dia, ao tentar enquadrar uma banca de verduras, com um personagem ao fundo num mercado de Belo Horizonte lembrei de um dos fotógrafos que mais admiro. É o xará Tiago Santana, cearense do Crato.

Assisti uma palestra com ele no projeto Foto em Pauta, do Eugênio Sávio, em maio de 2007. Tiago Santana é um mestre na composição. Vários pontos de atenção clicados com perfeição. Uma só foto conta três ou mais histórias, como se fossem várias imagens “juntadas” no Photoshop.

Fotógrafo independente desde 1989, trabalha com fotodocumentário para uma editora e já ganhou vários prêmios. Observar as imagens de Santana é oportunidade incrível de conferir o que o um olho sensível é capaz de captar.

Tiago SantanaTiago Santana

Tiago SantanaTiago Santana

Festa da Música reúne artistas consagrados e jovens talentos

O bruxo dos sons Hermeto Pascoal promete transformar o mundo em música absoluta

O bruxo dos sons Hermeto Pascoal promete transformar o mundo em música absoluta

Abra sua agenda e comece a reservar bastante espaço porque a quarta edição da Festa da Música está chegando. A partir do dia 28, serão 10 dias de shows gratuitos em 10 espaços de Belo Horizonte, num total de 50 atrações mineiras e de outros estados. Como de costume, o maior e mais democrático evento musical da cidade tem em sua extensa programação nomes de peso, como Hermeto Pascoal, Toninho Ferragutti, Juarez Moreira, Paulo Moura e Pau Brasil, e também jovens talentos, caso de Gabriel Grossi, Chico Pinheiro, Daniel Santiago e Dudu Braga. A realização é da Fundação Assis Chateaubriand.

Inspirada na Fête de la Musique, criada na França há 28 anos para celebrar a chegada do verão (quando os dias são mais longos por lá), a Festa da Música da capital mineira atraiu, em 2007, nada menos que 100 mil pessoas. O feito foi repetido no ano seguinte, mas ano passado, por causa da chuva (o evento foi realizado em outubro), o público caiu para 80 mil pessoas. “Este ano, nossa expectativa é atingir 120 mil pessoas, pois outono é estação de pouca chuva e temperatura amena”, estima Cristina Sabino, produtora executiva da Festa da Música.

Os novos espaços escolhidos para abrigar as apresentações são o CentoeQuatro (Praça da Estação), a Praça Tom Jobim (Santa Efigênia) e Feira Modelo (Rua Araguari, entre Matias Cardoso e Rodrigues Caldas, no Santo Agostinho). Além deles, estão as praças do Papa, JK, Diogo de Vasconcelos, da Liberdade, Nova da Pampulha e de Santa Tereza, o Museu de Artes e Ofícios, Teatro Alterosa e Parque Municipal. “Uma das preocupações foi privilegiar a escolha de espaços que atendam as necessidades de portadores de deficiência e idosos”, acrescenta Cristina.

CONFIRA A PROGRAMAÇÃO DA 4ª EDIÇÃO DA FESTA DA MÚSICA

“Este ano, realizaremos apenas pequenos ajustes para atender a demanda do público, que sempre nos envia sugestões e opiniões sobre o projeto. Distribuímos as atrações de forma menos concentrada, permitindo que as pessoas possam assistir mais de um espetáculo por dia”, conta. Em alguns momentos, como no primeiro sábado do evento, a programação começa na Praça Tom Jobim, no início da tarde, passa pelo Museu de Artes e Ofícios, e termina às 21h, na Praça do Papa, totalizando seis atrações.

O clarinetista Paulo Moura mostra que a boa arte instrumental vai da gafieira ao jazz

O clarinetista Paulo Moura mostra que a boa arte instrumental vai da gafieira ao jazz

A música instrumental continua ocupando maior espaço, embora vocais apareçam aqui e ali, caso do Vozes do Morro; Tulião Mourão e Titane; Tizumba e Cortejo Tambor Mineiro; e da Banda do Síndico, que reúne músicos que tocaram com Tim Maia, para interpretar os sucessos dele ora em formato instrumental, ora com o cantor Bruno Maia. “Ele não é parente do Tim. Escolhemos pelo timbre de voz ser parecido e por ser alegre no palco e fã dessa música. Tim Maia gostava muito de música instrumental, pois veio da escola norte-americana, ouvia muito jazz, muito funk”, conta Silvério Pontes, integrante da Banda do Síndico.

No gogó

E por falar em voz, o alagoano Hermeto Pascoal, uma das principais atrações da Festa da Música, manda aviso ao público interessado em conferir seu show: “O pessoal tem de esquentar o gogó antes de sair de casa”. É que o show que ele apresentará com seu grupo (a mulher, Aline, e o filho, Fábio, fazem parte) inclui vários momentos de improviso vocal e interação com o público. Para não fazer feio na hora, ele recomenda gargarejar com uma mistura de água morna, limão, vinagre e um pouquinho de sal. O músico diz que repertório e arranjos podem sofrer alterações até mesmo quando já estiver no palco, mas garante para sua apresentação, dia 30, músicas como Os gritos, Irmãos latinos e Tamancos e pilão.

Já o cavaquinista Ausier Vinicius, veterano do choro na cidade, sabe exatamente o que vai mostrar para o público. “Desde ano passado, eu e meu grupo estamos fazendo apresentações em homenagem a Waldir Azevedo. Fiz resgate de baiões, boleros e um punhados de frevos dele que ninguém conhece”, conta. Fundador do Pedacinhos do Céu, reduto do choro inaugurado em 1996, ele se apresenta constantemente no local acompanhado por grupo que leva o nome da casa. Os mesmos músicos estarão com ele no show do dia 29, quando receberá no palco convidado de Uberaba, o também cavaquinista Fausto Reis, especialista na obra de Waldir.

Texto de Eduardo Tristão Girão
Fonte: Divirta-se

Saideira Comida de Buteco 2010

Abafo foi o petisco do Adega & Churrasco

Na edição do Comida di Buteco em que o desafio era tornar o jiló atrativo para os clientes, quem venceu a disputa foi o Bar da Lora, tradicional ponto de encontro dos “butequeiros” no Mercado Central. O prato vencedor foi o Pura garra da lora, um garrão com molho de Malzbier, acompanhado com purê de mandioca com queijo e jiló na chapa com linguiça.

No segundo lugar, empate do Bar do Zezé e do Buteco da carne. Em terceiro lugar, o Köbes e em quarto o Bar do João. No quinto lugar, também houve empate do Estabelecimento bar e do Café Palhares, vencedor no ano passado.

Texto de Sílvia Dalben

As cidades e os olhos

Valdrada

Valdrada - Thiago Ventura Maio de 2010

“Às vezes o espelho aumenta o valor das coisas, às vezes anula. Nem tudo o que parece valer acima do espelho resiste a si próprio refletido no espelho. As duas cidades gêmeas não são iguais, porque nada do que acontece em Valdrada é simétrico: para cada face ou gesto, há uma face ou gesto correspondido invertido ponto por ponto no espelho. As duas Valdradas vivem uma para a outra, olhando-se nos olhos continuamente, mas sem se amar”.

Ítalo Calvino

Encontro Universidades Renovadas


Encontro Estadual Universidades Renovadas (EEUR), realizado em Lavras,no Sul de Minas, nos dias 1 e 2 de maio de 2010.